Convidados


Azinhaga
Projeto musical liderado por Luis Carmelo (voz, concertina e ukulele) e que conta ainda com os músicos, André Capela (guitarra e saxofone), Paulo Matos (contrabaixo) e Tiago Rêgo (percussão)
Luis Carmelo, Nasceu em Lisboa, em 1976, mas foi no Brasil que cresceu até 1991. Licenciado em Estudos Teatrais e Mestre em Estudos Portugueses com a dissertação Representações da Morte no Conto Tradicional Português (Colibri). Colabora com o Instituto de Estudos de Literatura Tradicional da Universidade Nova de Lisboa e com o Centro de Investigação em Artes e Comunicação da Universidade do Algarve, encontrando-se a desenvolver um projeto de doutoramento sobre narração oral como bolseiro da FCT. É narrador desde 2003, trabalhando em bibliotecas, escolas, associações, teatros e festivais, em Portugal e no estrangeiro, e desenvolvendo diversos projetos de programação, criação e investigação nessa área.

Gimba
Membro fundador dos Afonsinhos do Condado, e padrinho de baptismo dos Xutos & Pontapés, tocou também com Os Irmãos Catita. Gravou e produziu trabalhos de : José Cid, Mário Laginha, Tim, entre outros.
Assinou bandas sonoras de programas de televisão ("Pop Off"; "O Cabaret da Coxa", "Estado de Graça", "DDT - Donos Disto Tudo", “O Programa da Maria”; “Paraíso Filmes”; “O Homem que Mordeu o Cão”), cinema (“O Crime do Padre Amaro”) e teatro ("Dois Reis e Um Sono", "O Segredo do Rio", "À Procura do Fim", e outros).
Foi o director musical do projecto "Radio Royale", onde se destacou o trio feminino "As Royalettes", de cujo reportório é autor e produtor.
De 2004 até à actualidade dedica-se também às suas oficinas de escrita para canções, tendo já levado estas actividades a todo o continente e ilhas

Patrícia Amaral
Contadora de histórias desde 2002, com especialização em contos tradicionais (sobretudo portugueses). Colaborou com o Centro de Estudos Ataíde Oliveira (estudos de Tradição Oral; Universidade do Algarve), onde se apaixonou irremediavelmente pelo repertório oral tradicional. Já percorreu o país de alto a baixo, contando e fazendo contar. Nascida em Angola, em 1975, vive hoje em Faro.






Cristina Taquelim
Nasceu em Lagos em 1964. Licenciou-se em Psicologia Educacional e fez Pós-Graduação em Ciências Documentais. É Mediadora de Leitura e Técnica assessora da Administração Local na Biblioteca Municipal de Beja, onde é responsável, a par dos projectos continuados de mediação da leitura, pelos programas de Narração Oral na Biblioteca, as Palavras Andarilhas e as Mil e Uma Noites Mil e uma Histórias. Figura de referência no panorama nacional, tem apresentado diversas comunicações em colóquios e congressos sobre mediação e dinamizado oficinas nesta área. Desenvolve desde 1995 actividade como narradora, tendo trabalhando com públicos de todas as idades e participado em diversos encontros em Portugal, Brasil, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde, Espanha e Argentina.



Thomas Bakk
Thomas Bakk é autor e contador de histórias. Nasceu no Brasil e hoje vive no Porto. Tem obras publicadas e peças encenadas em Portugal e no Brasil.
Foi guionista da Rede Globo e atualmente dedica-se à narração oral de contos da sua autoria que também traduz em livros.
Como contautor narra e interpreta várias personagens, utilizando o Teatro, a Música e a interação com o público, em espetáculos de contos performáticos e bem humorados.







Mare Martinez
Espanhola de origem mas residente em Portugal, divide as suas atividades entre a promoção de danças tradicionais e os contos tradicionais. Desenvolve um trabalho, sobretudo para as famílias, na Escola do Malhão em Tavira onde junta a beleza da dança com a inspiração criativa dos contos.

Sofia Maul
“Nasci na Madeira a 16 de Novembro de 1973 e sou tradutora desde 1974, terapeuta da fala desde 2000, mãe desde 2009, escutadora de histórias desde sempre, contadora de histórias desde 1975 e contabandista desde 2006. Desde 2004 também faço parte da bolsa de contadores da Biblioteca Municipal de Oeiras, onde fiz variadas formações no âmbito do projecto Histórias de Ida e Volta.Outras actividades importantes para o meu percurso foram workshops de clown e mímica e viagens que fiz para ouvir contar e contar (Irlanda, Espanha, Reino Unido, Itália e Bélgica). E isso é o que me empurra como contadora: ouvir e ler e escrever e trabalhar e partilhar contos para construir repertório para poder viajar para ouvir mais contos...”

Ana Sofia Paiva
Inicia a sua actividade como actriz aos 16 anos, pela companhia Projecto Ficções, no Seixal. Mais tarde culmina a sua formação na Escola Superior de Teatro e Cinema. Passou pelo Teatro Nóz, Bica Teatro, companhia de teatro de itinerância, Teatro Regional da Serra do Montemuro, entre outros.
Leciona várias formações em Narração Oral e Contadores de Histórias no espaço SOU - Movimento e Arte, onde trabalha como artista residente e coordenadora da formação artística e dos projectos sócio-culturais.
Foi ainda bolseira no projecto de investigação do Instituto de Estudos de Literatura Tradicional, sob a coordenação da Dra. Isabel Cardigos, diretora do Centro de Estudos Ataíde de Oliveira.

Sem comentários:

Enviar um comentário